MUDAMOS DE ENDEREÇO

AGORA ESTAMOS NO WORDPRESS

www.portoimagem.wordpress.com

(mudamos por motivo de falta de espaço no servidor do UOL)



Escrito por Gilberto Simon às 19:35
[] []



David Coimbra também é a favor de uma Porto Alegre melhor

E deseja VIDA nos escombros do Estaleiro Só

Queria um candidato a prefeito que defendesse os mais favorecidos. Um que pensasse nos aquinhoados, nos bem de vida. Na classe A.    Sem descuidar da saúde e da educação, óbvio,  mas com o olhar rútilo para o luxo e as amenidades da vida. Seria o meu candidato.

Por quê? Por causa, por exemplo, de um naco de Porto Alegre que descobri, dia desses. Uma prainha do Guaíba engastada nas cercanias do Museu Iberê. Nem desconfiava da sua existência. Normal – nós, da Zona Norte, nos diziam que nesta cidade tem um rio, mas certeza certeza só tivemos depois de, sei lá, passar dos 18 anos.

Então, lá estava eu, na pequena praia. Que lugar lindo e nojento. Lindo por natureza, nojento por abandono. Ainda que sua praça pareça atendida pela prefeitura, a grama cortada e tudo mais, o lixo se acumula na areia e, como não há nenhum comércio nas imediações, o local torna-se ermo e inseguro.

Fiquei imaginando se Paris possuísse um recanto bucólico como aquele. No que a prefeitura de Paris faria com o lugar. Como o embelezaria, como chamaria a iniciativa privada para erguer por perto um café, um restaurante, e as pessoas almoçariam olhando embevecidas para o rio. Paris faria daquela curva da cidade um lugar atraente para os mais favorecidos, que trariam segurança e empregos. E beneficiariam os menos favorecidos.

Algum gaiato argumentaria que não se pode comparar Porto Alegre com Paris. Por que não? Eu aqui, como os menos favorecidos, quero o melhor. Não quero o feio, o sujo, o precário. Eu e os menos favorecidos, e os mais favorecidos também, todos queremos o belo, o limpo, o bem-amanhado. Mas alguém disse para os candidatos a prefeito, e para alguns ex-prefeitos, que o pobre gosta de conviver com a pobreza. E eles acreditaram.

Quando a prefeitura discute um projeto, digamos o do Cais do Porto, logo vem um defendendo que o lugar seja “para toda a população”. Isso significa a instalação de troços como “shoppings populares”, em porto-alegrês, o mesmo que um monte de camelôs juntos. Nada contra os camelôs, eles têm de ter o seu espaço. Não no Cais do Porto. O Cais há que ser da nata, da classe A. Os ricos, viva eles! Se tudo ali for bonito e arrumado, ali estará o dinheiro. E os menos favorecidos terão onde trabalhar e onde flanar, que eles flanam. Os pobres de Paris decerto não freqüentam os restaurantes de três estrelas do Guia Michelin do Boulevard Saint-Germain, mas eles usufruem das belezas do Boulevard Saint-Germain, e de graça. Difícil crer, mas os pobres também gostam de coisas boas. Por isso, queria um candidato que não tivesse preconceito contra o dinheiro. Um candidato que defendesse o luxo. A nata. Os ricos. Viva eles!

David Coimbra, colunista de Zero Hora

 



Escrito por Ricardo Haberland às 15:47
[] []



Parque Mauricio Sirotsky Sobrinho será cercado

Mas só à noite. Durante o dia o acesso continuará livre e gratuito.

Utilizado anualmente para o Acampamento Farroupilha, o Parque Maurício Sirotsky Sobrinho será fechado à noite pela prefeitura. Será a primeira grande experiência para avaliar os benefícios da medida, um dos temas mais polêmicos da Capital.

Realizada em agosto, a troca da antiga cerca de arame pelos 4 mil metros de tela galvanizada por dois metros de altura permitirá o fechamento do local, a partir do dia 30.

Os horários de abertura do parque serão definidos pelas secretarias municipais do Meio Ambiente (Smam) e da Cultura (SMC) durante o período de recuperação dos danos causados pelo Acampamento Farroupilha, como gramado deteriorado, restos de madeira e telhas quebradas. As alterações nos horários de verão e inverno serão respeitadas, tendo como critério o grau de luminosidade.

Diariamente, antes do fechamento dos seis portões, os guarda-parques e a Guarda Municipal, com postos no local, circularão pela área de 65 hectares e convidarão os usuários a se retirar. As pessoas que estiverem utilizando churrasqueiras ou fazendo exercícios poderão concluir suas atividades antes de deixar o parque, mas não será permitida a entrada de visitantes até a hora da abertura, no dia seguinte.

Como está sendo feita a substituição de uma cerca que já existia, não se aplica a legislação municipal que obriga a realização de uma consulta popular para decidir sobre o cercamento da área, como seria no caso de cercar a Redenção. Diferente dele, o Maurício Sirotsky Sobrinho já nasceu cercado. Mas a proteção era facilmente ultrapassada, o que tornava sem efeito fechar as porteiras.

– Como foi uma troca da cerca já havia, não entra na exigência legal de se realizar um plebiscito. E era uma demanda antiga dos tradicionalistas – afirma Ana Fagundes, secretária municipal-adjunta da Cultura.

ZH

_________________________________________

Eu sou a favor dos cercamentos à noite. Não há o que se fazer num parque na escuridão da noite, senão atividades fora da lei.

Durante o dia o suposto parque continua aberto à todos, como sempre. Ninguém é prejudicado durante o dia num parque cercado. Pelo contrário: terá um parque belo e conservado. Parques decadentes podem se tornar áreas deslumbrantes.

Nem a cerca pode ser acusada de antiestética. Se for uma cerca bonita pode até ser algo mais a ser admirado. Há muitos parques no mundo e no Brasil com portões majestosos que são uma obra de arte.

A Redenção pode se tornar o parque mais bonito e majestoso do Brasil. Ser comparada ao parque Knor, de Gramado. Aos badalados parques de Curitiba. Ao Jardim Botânico, do Rio. E deixar todos eles no chinelo.

Cidadãos portoalegrenses: se informem sobre mundo que há do lado de fora de seus umbigos. Abram suas cabeças. Revisem seus conceitos.

Ricardo Haberland



Escrito por Ricardo Haberland às 15:42
[] []



Edital do Projeto Cais do Porto sairá até o final do ano !

Estamos assistindo ao início de uma nova era

O iminente edital do Projeto do Cais do porto faz pensar: será que estamos ingressando numa nova era ? Tomara !

Veja só: museu Iberê Camargo; BarraShopping Sul, na orla; projeto Pontal Estaleiro; projeto do complexo do Inter; revitalização do cais do porto...

Projeto nunca quis dizer nada, especialmente em Porto Alegre, que já viu inúmeros deles morrer no esquecimento ou em brigas políticas. Mas a existência de tantos projetos apresentados quase simultanemante parece mostrar que está começando a haver interesse em investir na orla. Como se ela estivesse sendo descoberta agora.

Assim como esses grandes projetos, espero que empresários também comecem a ter iniciativas no que lhes é possível. Assim fez o Jóquei Clube que, numa época difícil,  decidiu ousar e ampliar suas ações.  Essa ousadia resultou a um convite para construir um shopping  em seus domínios. 

Mirando-se nesse belo exemplo do Jóquei, também as marinas da zona sul poderiam ampliar sua atuação. Em vez de continuarem a ser clubes fechados - e viverem no limite entre a decadência e o ocaso - poderiam abrir suas portas ao público e instalar complexos de bares e restaurantes, como é feito em outras capitais brasileiras. Para isso as marinas não precisam nem que se mudem as leis.

De sua parte, nossos políticos poderiam não apenas deixar, mas incentivar investimentos na orla. Claro que com cuidados com o impacto ambiental, mas tenho certeza que abusos ao meio-ambiente não ocorrerão, pois em Porto Alegre há bastante gente vigiando isso.

Quero ser otimista e acreditar que realmente estamos assistindo a uma mudança de mentalidade. Inicialmente de alguns poucos, mas com tendência irreversível de essa nova mentalidade se alastrar, e Porto Alegre descobrir que é uma cidade com orla.

Ricardo Haberland

Veja abaixo a matéria do Correio do Povo - clique para ampliar e ler.



Escrito por Gilberto Simon às 16:41
[] []



BarraShoppingSul abrirá mesmo no dia 31 de outubro

O BarraShoppingSul insiste na notícia de que abrirá o shopping para o público no dia 31 de outubro.

Há controvérsia, porque a Livraria Saraiva informou que só abrirá depois disto.

Se abrirem depois do dia 31, será problema deles”, avisou a Multiplan. 

Polibio Braga, 02/10/2008



Escrito por Gilberto Simon às 01:34
[] []



Abaixo-assinado a favor do Pontal do Estaleiro (a favor da cidade)

Abaixo-assinado a favor do Pontal do Estaleiro (a favor da cidade)

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/1848

Assinem e divulguem !


Pontal do Estaleiro devolverá um significativo trecho da orla aos porto-alegrenses


Áreas públicas serão mais de 50% da área



Escrito por Gilberto Simon às 16:34
[] []



Yeda abre pacote de bondades para Rio Grande

A P-53 da governadora Yeda Crusius foi nesta quarta-feira, em Rio Grande. Ela abriu seu saco de bondades no município que mais cresce no RS. Desta vez, Yeda não repartiu o palanque com Lula, Dilma e Dirceu Lopes, mas com o prefeito Janir Branco, do PMDB, que é franco favorito às eleições de domingo.

1. mandou tocar as obras de instalação da linha de transmissão subaquática da CEEE, que liga Rio Grande a São José do Norte, no valor de R$ 20,6 milhões, o que facilitará a circulação de plataformas continentais e navios petroleiros de grande porte pelo canal.

2. inaugurou o terceiro berço de atracação do mega-terminal de contâineres da Tecon, da Wilson, Sons, que custou US$ 50 milhões, que vai aumentar a capacidade de movimentação de cargas em 60%.

3. confirmou a instalação de um novo e gigantesco estaleiro entre os terminais da Tergrasa e Termasa, no valor de US$ 60 milhões, gerando 400 empregos diretos, conforme informou com exclusividade, ontem, esta página (o Rio disputava este estaleiro com o RS).

4. entregou a Rio Grande um moderníssimo aeroporto. 

Polibio Braga, 02/10/2008



Escrito por Gilberto Simon às 12:08
[] []



Site Porto Imagem é hackeado !

Foi uma grande surpresa hoje a tarde quando um leitor do Blog Porto Imagem, ao acessar o site, comentou que esta hackeado o maior site sobre Porto Alegre, com mais de 2 mil imagens da cidade.

Vejam a tela como ficou:

Não sabemos quem foi o responsável ou os responsáveis por isso, mas já estamos em contato formal com a Plugin - UOL, onde o site se encontra hospedado para averiguarmos o porque do ocorrido.

Lamentável acontecer uma coisa dessas. Se fosse um movimento pela paz, e contra as guerras simplesmente, estaríamos a disposição para veicular material em favor disso nos nossos sites.

 

 



Escrito por Gilberto Simon às 17:15
[] []



Abaixo-assinado a favor do Pontal do Estaleiro (a favor da cidade)

 

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/1848

Assinem e divulguem !



Escrito por Gilberto Simon às 15:32
[] []



Vejam esta discussão de outro Blog, sobre o Pontal do Estaleiro

felipe Silva, em Agosto 6th, 2008 às 23:56 Disse:

Estive hoje na audiencia publica realizada na camara de Poa referente ao Pontal do Estaleiro.
Independentemente da aprovacao ou nao da proposta, foi um belo ato de democracia. Particularmente, gostaria de morar em um pais onde ao inves de termos a iniciativa privada dona de um local e emprendendo a obra que o estado pudesse faze-lo para dai termos uma obras esclusivamente para fins sociais. Infelizmente, nao moro neste pais e o que vi foi uma utopia de esquerda visando derrubar a proposta atraves de um sem numero de exigencias que inviabilizariam o empreendimento ( por este motivo ate hoje a area continua entregue a vandalos ratos e baratas) e por outro lado a empresa investindo mais de cem milhoes e entregando 53% da area que lhe pertence ao publico. Vi de tudo la, e sinceramente cheguei a ficar decepctionado com os chamados representantes do povo….
Tinha quem fosse contra a realizacao da obra porque haveria predios residenciais, mas concluia dizendo que gostaria que fosse aproveitada a area para a construcao de casas populares.!?!?!? Outros justificando viemente o fim da obra porque perderiamos a vista do por do sol do guaiba. Desculpe, moro em POA a 30 anos e nao conheco ninguem que pegue o carro e transite em horario de engarrafamento as margens do guaiba para ver o por do sol durante 3 minutos e que sequer e visivel naquela area.
Gostaria de entender o que tem na cabeca de um infeliz destes que luta por um por do sol que nao ve, tenta derrubar um projeto que so traz beneficio. Enfim, POA esta na UTI necessitando do que pode ser dado a ela e esse projeto arranca um tumor de 30 anos, mas que se depender destes merdas vai permanecer ali por mais 30 porque precisam discutir quem vai operar.
Grato

 


Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho, em Agosto 7th, 2008 às 12:01 Disse:

Coloco aqui a mesma resposta dada ao Felipe, colocada no Blog Porto Alegre Vive:

Felipe,
Se estivestes presente na Audiência, parece que não escutastes os argumentos dos que se posicionaram contra o projeto.
Os posicionamentos contrários podem ser resumidos assim:

a) Legalidade – referindo-se principalmente à alteração de regime urbanístico e do uso do solo, gravame de Área de Interesse Cultural (Pesquisa SMC/Ritter dos Reis e decreto do executivo correspondente); utilização de recursos públicos para destinação de áreas de uso comum do povo à utilização privada);
b) Formal – relativa ao vício de origem e competência de iniciativa de lei;
c) Estrutural/urbanística – relativa à volumetria e à paisagem urbana, incluindo estudo de diretrizes, considerações à articulação do diversos empreendimentos que interagem, além das recomendações dos especialistas presentes no Fórum Porto Alegre do Futuro;
d) Ambiental – Impacto ao ambiente natural (e cultural), diagnóstico ambiental UFRGS, Legislação Federal, resoluções CONAMA e princípio da isonomia;
e) Mobilidade – abordando aspectos globais e sistêmicos, a contrariedade ao Estatuto da Cidade, além da exigibilidade de agressões ao ambiente natural para a resolução os problemas gerados pelos empreendimentos.

Quanto a achar que é um posicionamento apenas da esquerda, isso contraria a realidade dos fatos. Todos os que estiveram presentes viram pessoas de todas as cores políticas unidas CONTRA o projeto. Lembro que o orador mais vaiado pela ala que é favorável a este nefasto projeto foi o vereador Beto Moesch (ex-secretário municipal do Meio Ambiente do atual governo) é do PP, que não pode ser chamado de esquerda…

Não devemos falsear os fatos. Bastava estar atento para perceber que em todas as ideologias políticas existem pessoas conscientes que querem preservar o meio ambiente, o bom senso e a legalidade!

Cesar

 

felipe Silva, em Agosto 7th, 2008 às 14:47 Disse:

Vou colocar aqui a mesma resposta que dei a cesar no POA vive.
Amigos, de posicao contraria. Como me referi anteriormente, gostaria muito de viver em um pais com condicoes de fazer tudo que o senhor e a senhora jornalista propoe. Agora, lhes pergunto. Se nao fizeram isto em 30 ANOS, exatamente porque o projeto na forma como se deseja e inviavel, vamos novamente dizer que poderia ser dessa forma, poderia ser daquela outra e manter o mato como esta.
Ou seja, lamear algo que indiscutivelmente vai melhorar porque as coisas poderiam ser mais sociais. Seguir no lema do no Brasil tudo acaba em pizza.
So to vendo questionamentos, apontamento de defeitos, mas nao ha proposta. Me arranjem uma empresa disposta a aplicar 160 milhoes na area sem construcao de area residencial e na forma como voces querem que mudo de opiniao. O povo nao quer uma bela vista do guaiba ele quer um emprego dentro dos 3 hoteis que serao feitos na area, porque a familia nao tem o que comer.
Quanto a politica das leis socias, estive na Russia ano passado e vi o resultado de sua politica social em acao. O que acontece quando o estado passa as empresas o onus de contratar e de manter a populacao de baixa renda empregada.
Com esta politica vamos perdendo e perdendo. Perdemos a FORD para a Bahia. Logo para a Bahia, VERGONHA. Porque meia duzia de esquerdistas resolveram fazer com a FORD o que voces estao fazendo com esta obra.
Mas chega de falar, sei do pensamento de esquerda e do perfil que se apresentam. Quem sabe nao vao todos pregar suas ideias socias no mundo dos sonhos, pois e la onde todos trabalham da mesma forma. Neste planeta, isto so trouxe miseria, fome e desgraca.
Grato

felipe Silva, em Agosto 7th, 2008 às 15:01 Disse:

Mais uma coisa, quanto aos que estavam presentes contrarios ao projeto o que eu vi foi uma cambada de pessoas mal educadas que passaram o tempo todo gritando feito animais, pregando a desordem e frontalmente contra o espirito democratico do debate.
So faltava a bandeira de cuba ao fundo.
Quanto ao numero de pessoas, havia uma quantidade muito maior favoravel ao projeto do que contraria, dentro da casa e por representacao das entidades de classe. Agora se estas se referindo ao volume de som como forma de determinar a posicao majoritaria na casa, com toda certeza contra o projeto teria maioria, pois como dito eram 15 pessoas gritando feito bestas.

(...) as discussões continuam, para quem quiser ver e participar, o link está aqui:

http://caouivador.wordpress.com/2008/08/05/pontal-do-estaleiro-audiencia-publica/



Escrito por Gilberto Simon às 12:49
[] []



Pelotas busca liberação de área para novo estaleiro

Nesta terça-feira o secretário Carlos Mario de Alemeida Santos, auxiliar do prefeito Fetter Júnior, de Pelotas, passou o dia em Porto Alegre,  junto a Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Assuntos Internacionais, tratando da liberação da área para implantação do mais novo estaleiro, o da Cia. Câmara de Construções. A área que pleiteada na cidade de Pelotas pertence ao Governo do Estado.

Além da embarcação da Universidade do Paraná, já comercializada, a empresa gaúcha está com negócios alinhavados para fornecer equipamentos para empresas de cabotagem que já operam no  litoral e operações para a Petrobrás.

O estaleiro gaúcho também negocia com o governo paulista. Este está tratando de montar uma agencia de fomento para atrair novos investimentos no setor naval para o estado de São Paulo, quem está encarregado deste assunto a pedido do Governador Serra é o Secretário Luciano de Almeida. “Nossa intenção é ficar pelo estado, mas é preciso que a Governadora Yeda Crusius seja ágil com relação as medidas necessárias para nossa implantação”, avisou ao editor o diretor da Cia. Câmara de Construções.

Polibio Braga, 01/10/2008



Escrito por Gilberto Simon às 11:34
[] []



Acerto sobre gás para AES de Uruguaiana pode sair

Não se pode dizer que não vão bem as negociações entre os governos brasileiro e a argentino em torno da retomada do abastecimento de gás para a megausina térmica de Uruguaiana (650 MXW).

O governo argentino quer continuar recebendo energia brasileira via estação conversora de Garruchos, mas para isto terá que se comprometer a fornecer 2 milhões de m3/dia para Uruguaiana. A proposta está com a secretaria de Minas e Energia da Argentina. A AES está em cima.

Até outubro os argentinos precisam dar uma resposta. Se ela for positiva, Lula e Kirchner vão se reunir e assinar os novos contratos.

Polibio Braga falou com o deputado Frederico Antunes, que nesta terça-feira estava em campanha no Itaqui, que tem se mantido em contato com Ronaldo Schuck, o homem do gás argentino no ministério de Lobão.

Polibio Braga, 01/10/2008



Escrito por Gilberto Simon às 11:32
[] []



Primeiros guardas recebem informações turísticas

Considerados uma referência não só em segurança, mas também para repassar informações sobre a cidade, cerca de 30 guardas municipais deram início hoje, 30, ao programa de qualificação turística sobre Porto Alegre. No primeiro grupo, reunido das 8h às 12h, participaram 15 guardas, que receberam informações sobre aspectos históricos do patrimônio cultural e natural, dicas de locais, entre outras abordagens de serviço e atrações turísticas. A iniciativa visa a prepará-los para atender turistas e a população em geral com relação aos atrativos e alternativas de lazer e serviços, capacitando-os a ter uma nova visão sobre a cidade e o patrimônio que a corporação tem como função preservar.

Com duração de duas horas, a palestra foi dirigida pela equipe do Serviço de Atenção ao Turista da Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR) e segue a metodologia do programa “Dicas Turísticas para Hotelaria e Gastronomia”, desenvolvido pela SMTUR desde 2007, em parceria com o Sindicato de Hotelaria e Gastronomia de Porto Alegre (SindPoa). Às 10h30, os participantes realizaram um passeio técnico no city tour Linha Turismo, conhecendo cerca de 20 atrativos da cidade.

Referência - Este é o primeiro de vários treinamentos. Segundo o chefe do Grupamento Especial Motorizado, André Luis, é importante instruir e preparar os guardas, pois os turistas também procuram os agentes para receber a informação corretamente. Para o guarda municipal Carlos Alberto, há 13 anos na função, é uma iniciativa muito importante não só para a qualificação, mas para o conhecimento dos locais. “Me sinto melhor instruído e capacitado para repassar a informação corretamente, além do que, Porto Alegre é uma cidade muito bonita, e não a valorizamos da maneira que ela merece”, ressalta. 

A qualificação da Guarda Municipal é uma parceria entre as secretarias municipais de Turismo e de Direitos Humanos e Segurança Urbana (SMDHSU) e o SindPoa. A intenção é qualificar os 614 guardas do município em um ano e meio. “Vamos qualificar todos os guardas, dando preferência aos que estão em pontos estratégicos, como parques, praças e no centro da Capital”, informa o chefe de gabinete da SMDHSU, Carlos Fett Paiva Neto.

A outra turma de 15 guardas recebe qualificação à tarde, a partir das 14h e, às 16h30, realiza passeio técnico no Linha Turismo. A previsão da SMDHSU é de realizar um encontro de qualificação por mês.


PMPA

_______________________________________________________________

Espero que um dia os guardas tenham a oportunidade de informar: "Pontal do Estaleiro? É só seguir a Padre Cacique"



Escrito por Ricardo Haberland às 07:27
[] []



Tradicionalistas não querem conservação do Laçador por franceses

Anúncio de que conservação seria feita por empresa extrangeira causou desforto entre tradicionalistas

Por pouco, o debate sobre o destino de um símbolo gaúcho não deixou de fora os tradicionalistas. Localizado na Avenida dos Estados, na Capital, o Sítio do Laçador esteve para ser adotado por uma empresa francesa em troca da colocação de placas de publicidade no local. A prefeitura, que já havia anunciado a assinatura do convênio, recuou e adiou por tempo indeterminado a cerimônia para discutir a adoção com os tradicionalistas.

O anúncio da adoção do Laçador pela Leroy Merlin, companhia francesa do varejo da construção, surpreendeu até mesmo os líderes tradicionalistas ligados à prefeitura, que sequer sabiam do processo.

– Houve precipitação na divulgação disso. Recebi e-mails criticando a medida, parece que se formou uma rede de discussão – conta Vinicius Brum, coordenador de Tradição e Folclore da Secretaria da Cultura.

Posição contrária à adoção já foi firmada pelo presidente do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), Manoelito Savaris. Ele pensa que seria melhor o poder público assumir integralmente a conservação do local. Para ele, em razão do valor simbólico do monumento, torna-se inviável ligá-lo a uma empresa.

– Não se trata de ser estrangeiro. Entendo que não é bom mesmo se fosse uma empresa gaúcha. Agregar marcas ao Sítio do Laçador criaria um desconforto, a sensação de que o dinheiro é curto para cuidar até dos nossos símbolos – afirma.

O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Oscar Gress, tem uma opinião diferente. Segundo ele, não é constrangimento uma empresa privada assumir a conservação do local. O que não pode, afirma, é o símbolo ficar sem cuidado.

– Foi bom a prefeitura ter adiado isso, vamos discutir melhor. Poderia uma empresa nossa adotar o Laçador, mas se ninguém daqui se ofereceu, por que não de fora? Até porque gaúchos vão trabalhar lá – diz Gress.

Smam nega que pressão tenha provocado recuo

No caso da Leroy, um valor mensal ou anual seria repassado à prefeitura para a manutenção do largo. Nos meses de verão, seria feito o corte da grama a cada 15 dias. No restante do ano, uma vez por mês. A Smam nega que a pressão tenha provocado o recuo a 72 horas da assinatura.

– Legalmente, esse processo cumpriu todas as etapas. Mas ao chegar até nós, sentimos que não se tratava de mais uma área. Há todo um valor cultural. Queremos discutir, após a eleição, com a cidade e o MTG – afirma o secretário em exercício da Smam, Luiz Alberto Carvalho Junior.

ZH



Escrito por Ricardo Haberland às 09:06
[] []



10 motivos que levam o MOVE-POA a apoiar o projeto do Pontal do Estaleiro:

 

1. ACESSO LIVRE À ORLA – Transformando uma área privada abandonada há duas décadas em um ambiente público qualificado servido por bares, restaurantes, ciclovia, píer e marina pública, estacionamento público, tudo com segurança 24 horas e na beira do Guaíba, criando mais uma área verde pública, porém única na cidade, com acesso livre total e irrestrito a qualquer cidadão. Única área pública qualificada que aproxima os porto-alegrenses do Guaíba e que proporciona aos moradores do cristal um acesso livre à orla.

 

2. URBANISMO – Conforme dita o melhor do urbanismo contemporâneo, a região será desenvolvida a partir do uso misto (comercial/residencial/serviços), este o qual é crucial para manter viva e atraente a zona. Com pessoas morando, trabalhando e convivendo, o local será mais seguro, movimentado e interessante, atraindo pessoas de outras regiões da cidade e da Região Metropolitana. Se na área do Estaleiro Só fosse construído um único parque público, a Prefeitura teria que gastar dezenas de milhões de Reais para criar um espaço que será pouco freqüentado, provavelmente sem segurança e disposto a se degradar com o tempo, vide outros exemplos pela cidade.

 

3. MEIO AMBIENTE – Partindo do conceito Green building, o projeto se propõe a ser vanguardista, resolvendo sozinho as questões hidro-sanitárias (através do total tratamento de esgotos e reaproveitamento da água das chuvas), energéticas (com previsão de captação de energia solar), ecológicas (criando uma nova área verde pública, preservando a vegetação arbórea e ciliar existente). Único investimento privado de Porto Alegre que destina parte do investimento para o interesse ambiental.

 

4. ECONOMICAMENTE VIÁVEL – Partindo do investimento privado, o projeto criará novas vias e áreas públicas, que posteriormente serão doadas à Prefeitura. Áreas as quais terão tratamento paisagístico muito superior à média da cidade, fazendo com que o meio público não precise investir milhões na criação de novas áreas verdes públicas qualificadas junto à orla. O único empreendimento privado de grande porte que se propõe a criar novas áreas públicas qualificadas junto à orla que servirão de ponto de partida para uma aproximação das pessoas com o Guaíba.

 

5. LEGALIDADE – As volumetrias das edificações são previstas em leis, impedindo apenas o uso residencial da área já que a mesma não está protegida pelo sistema de diques da cidade. O projeto prevê o aumento do sistema de diques, protegendo futuras construções residenciais, as quais serão cruciais para o sucesso da região e da nova área pública. A lei, portanto, mostra-se ser inadequada e deve ser revisada, ainda mais quando trará benefícios à cidade.

 

6. DISTÂNCIA DO GUAÍBA – Distante 50 metros do Guaíba, a área útil do empreendimento não se localiza na orla, mas próximo à ela. Os prédios ficarão de 60 a 90 metros distantes do lago. Para efeito de comparação, algumas edificações e suas distâncias do Guaíba: Museu Iberê Camargo – 35,00 m; Vila Assunção - residências a 24m do Guaíba; Ipanema/Av. Guaíba – residências a 37m do Guaíba.

 

7. SOCIALMENTE CORRETO Em porto Alegre, quem tem condições de usufruir da orla a partir de um espaço qualificado é a população mais abastada, que pode se associar aos clubes e ter residências junto ao Guaíba, ou até mesmo viajar para outras cidades litorâneas. O pobre tem que se “contentar” com ambientes degradados, sujos e mal cuidados, como a área que envolve o Gasômetro. Com o Pontal, os porto-alegrenses de todas as classes ganharão uma nova opção de lazer em grau inexistente na cidade.

 

8. ALTURA DAS EDIFICAÇÕES – Apesar de estarem abaixo da altura dos prédios vizinhos já aprovados para o BarraShopping Sul (cerca de 24 pavimentos), as construções não serão altas a ponto de quebrar a harmonia da região. Gozando de um projeto arquitetônico cuja estética é aprazível, os prédios do Pontal irão criar um interessante ambiente urbano, formando um ponto turístico que Porto Alegre tanto necessita.

 

9. VIZINHANÇA (CRISTAL) – Por não ser densamente habitada, não haverá significativo impacto no que diz respeito à iluminação natural e barreira física que impede a visão do Guaíba. Servindo de complemento ao Museu Iberê Camargo, fazendo a ligação entre este equipamento público e o novo shopping, o Pontal transformará positivamente a região, valorizando o Cristal e criando novos pontos de lazer, cultura e entretenimento para a cidade, criando emprego, renda e mostrando que a cidade tem potencial para turismo de qualidade. Muitos criticam que o projeto modificará o regime de ventos, mas não há nenhum estudo técnico feito por órgãos competentes que comprove isto.

 

10. SISTEMA VIÁRIO – Criando uma nova via margeando o Guaíba e que servirá de opção para o acesso à Zona Sul, o Pontal do Estaleiro se propõe a minimizar ao máximo os problemas no sistema viário da região, este o qual já prejudicado por obras aprovadas em governos anteriores, como o BarraShopping Sul e as suas 4 torres.



Escrito por Rodrigo Marques às 21:09
[] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


Histórico
    Outros sites
    Blog Triste Porto Alegre
    Fotolog Porto Alegre-Se
    BarraShoppingSul - o maior e mais completo shopping center do Estado do Rio Grande do Sul
    Inter
    Grêmio
    Programa Viva o Centro
    Oceanário Sul - o maior oceanário da América Latina
    Porto Alegre Blog
    Blog do Daniel Simon
    Porto Imagem no Orkut
    Iphan
    Blog do Saulo (economia e assuntos gerais)
    Novas do Gatto